4 de fevereiro de 2009

Vida!


Sim, a minha!
Ando enrolando os dias sobre mim!
Talvez precise de uma transfusão, de cores e energias novas!
Sim, a minha vida, anda meio assim...

Sopram ventos fortes, nem sinto.
Apenas sinto uma tempestade cavalgando no horizonte...

Vida! Seguindo, com poucas referências.
Mais dúvidas que dívidas... Isso nem sempre é bom.

Te digo que não sei de onde vem esse rio de impaciência.
Desconheço a nascente, talvez nem queira saber.

Até choro em silêncio, nas lágrimas digo que não sei a distância a percorrer.
Mas posso resolver ir naquele barco, azul, lá no horizonte.

Vida, sim a minha...
Anda abrindo caminhos no silêncio.

Entre ruas coloridas, sons diferentes e um enorme sol lá fora.
Por onde vou decorando o sentido da espera, e hoje, como sempre apenas marcando o bater das horas...

13 comentários:

  1. Maravilhoso!!

    Adorei muito mesmo..

    Acho que certa faze da vida muitos se sente assim.

    Não sei pq disso .. mas acontece .. rsrsrs

    Abç.

    ResponderExcluir
  2. Talvez todo o escuro, a tempestade, ou a ausencia de vida nas cores da vida, seja tudo uma questão de fase.
    Um dia isso passa.
    Um dia tudo isso vai passar. E esse dia será o início de uma nova era -s


    beigos mil

    ResponderExcluir
  3. Nossa vida é uma eterna mudança, que confesso nunca estou acostumado a elas.

    Mas o que seriam os bons momentos, se não houvesse os ruins para dar-mos valor aos outros? O que seria da luz, se não houvesse as trevas?

    Não me leve a mal, apenas quero dizer que tudo são momentos, são espero que não estendas esse por tanto tempo, afinal há tanto na vida para se ver =]

    Bom post.

    ResponderExcluir
  4. A vida.. eis esta que é sem definição... como fazr com iso?

    bem, vou vivendo, aroveitando... cada um tem o seu modo de viver..

    acho q por mais q estejamos tristes ou não, isso não deve ser motivos para nos esquecermos de viver. Viva a tristeza, pois por mais ruim que seja, mostra que afinal vc ainda está vivo!!

    alohaaaa

    conto no blog! vai lá, pleasee

    ResponderExcluir
  5. o barquinho-vida ora amarelo, às vezes verde, azul quando quer, se quer questiona o seu rumo: ele vai. Vai no imenso oceano de nós, cantarolando com o vento.. e, quando o vento esquece a melodia, então sim vem aquele sentimento de água parada, calor lapidante, referência partida (ou perdida?).. um caminho pintado no próprio silêncio.
    um conselho: aproveita para olhar ao redor e soprar o barquinho-vida no rumo que deseja.. não espere o vento próximo.. faça dos pulmões, motor.

    adorei..

    ResponderExcluir
  6. Adorei, muito lírico seu poema!
    Todos os poemas que leio aqui sao de boa qualidade!
    flw!

    ResponderExcluir
  7. Às vezes sete palmos se torna atraente! rsrs

    o interessante é q eu me identifiquei com o post...

    ResponderExcluir
  8. Selinho pra vc em meu blog

    http://planetadablogueira.blogspot.com/


    abração!!!

    ResponderExcluir
  9. Voce se diverte com minhas viagens ao mundo da lua? haha.. quem diria!

    Pois é, a vida é sempre assim... ventos fortes, ventos fracos.. desde que sejam ventos e nao tempestades, por mim ta tudo ótimo!

    ResponderExcluir
  10. Já pensou em publicar um segredo sem se identificar?
    Conheça meu blog!
    Beijos..

    ResponderExcluir
  11. Hummm... É belo texto, porém melancólico. Será que minha doce amiga está tristinha hj?


    Bjos

    ResponderExcluir
  12. perfeito o que escrevestes!!!
    amei!
    e me identifiquei muito... muito!
    =)

    :***

    ResponderExcluir
  13. Juro: me surpreendi com a temática desse blog, que por sinal foi bem elaborada, e, agora, com a sua pessoa, pois não possui uma tv; livrou-se muito bem desse mal, e pelo jeito sem dificuldades.

    Grandes Abraços...

    ResponderExcluir

Olá! Se está aqui, leu e quer dizer algo...

4 de fevereiro de 2009

Vida!


Sim, a minha!
Ando enrolando os dias sobre mim!
Talvez precise de uma transfusão, de cores e energias novas!
Sim, a minha vida, anda meio assim...

Sopram ventos fortes, nem sinto.
Apenas sinto uma tempestade cavalgando no horizonte...

Vida! Seguindo, com poucas referências.
Mais dúvidas que dívidas... Isso nem sempre é bom.

Te digo que não sei de onde vem esse rio de impaciência.
Desconheço a nascente, talvez nem queira saber.

Até choro em silêncio, nas lágrimas digo que não sei a distância a percorrer.
Mas posso resolver ir naquele barco, azul, lá no horizonte.

Vida, sim a minha...
Anda abrindo caminhos no silêncio.

Entre ruas coloridas, sons diferentes e um enorme sol lá fora.
Por onde vou decorando o sentido da espera, e hoje, como sempre apenas marcando o bater das horas...

13 comentários:

  1. Maravilhoso!!

    Adorei muito mesmo..

    Acho que certa faze da vida muitos se sente assim.

    Não sei pq disso .. mas acontece .. rsrsrs

    Abç.

    ResponderExcluir
  2. Talvez todo o escuro, a tempestade, ou a ausencia de vida nas cores da vida, seja tudo uma questão de fase.
    Um dia isso passa.
    Um dia tudo isso vai passar. E esse dia será o início de uma nova era -s


    beigos mil

    ResponderExcluir
  3. Nossa vida é uma eterna mudança, que confesso nunca estou acostumado a elas.

    Mas o que seriam os bons momentos, se não houvesse os ruins para dar-mos valor aos outros? O que seria da luz, se não houvesse as trevas?

    Não me leve a mal, apenas quero dizer que tudo são momentos, são espero que não estendas esse por tanto tempo, afinal há tanto na vida para se ver =]

    Bom post.

    ResponderExcluir
  4. A vida.. eis esta que é sem definição... como fazr com iso?

    bem, vou vivendo, aroveitando... cada um tem o seu modo de viver..

    acho q por mais q estejamos tristes ou não, isso não deve ser motivos para nos esquecermos de viver. Viva a tristeza, pois por mais ruim que seja, mostra que afinal vc ainda está vivo!!

    alohaaaa

    conto no blog! vai lá, pleasee

    ResponderExcluir
  5. o barquinho-vida ora amarelo, às vezes verde, azul quando quer, se quer questiona o seu rumo: ele vai. Vai no imenso oceano de nós, cantarolando com o vento.. e, quando o vento esquece a melodia, então sim vem aquele sentimento de água parada, calor lapidante, referência partida (ou perdida?).. um caminho pintado no próprio silêncio.
    um conselho: aproveita para olhar ao redor e soprar o barquinho-vida no rumo que deseja.. não espere o vento próximo.. faça dos pulmões, motor.

    adorei..

    ResponderExcluir
  6. Adorei, muito lírico seu poema!
    Todos os poemas que leio aqui sao de boa qualidade!
    flw!

    ResponderExcluir
  7. Às vezes sete palmos se torna atraente! rsrs

    o interessante é q eu me identifiquei com o post...

    ResponderExcluir
  8. Selinho pra vc em meu blog

    http://planetadablogueira.blogspot.com/


    abração!!!

    ResponderExcluir
  9. Voce se diverte com minhas viagens ao mundo da lua? haha.. quem diria!

    Pois é, a vida é sempre assim... ventos fortes, ventos fracos.. desde que sejam ventos e nao tempestades, por mim ta tudo ótimo!

    ResponderExcluir
  10. Já pensou em publicar um segredo sem se identificar?
    Conheça meu blog!
    Beijos..

    ResponderExcluir
  11. Hummm... É belo texto, porém melancólico. Será que minha doce amiga está tristinha hj?


    Bjos

    ResponderExcluir
  12. perfeito o que escrevestes!!!
    amei!
    e me identifiquei muito... muito!
    =)

    :***

    ResponderExcluir
  13. Juro: me surpreendi com a temática desse blog, que por sinal foi bem elaborada, e, agora, com a sua pessoa, pois não possui uma tv; livrou-se muito bem desse mal, e pelo jeito sem dificuldades.

    Grandes Abraços...

    ResponderExcluir

Olá! Se está aqui, leu e quer dizer algo...