17 de julho de 2012

Livre silêncio

A luz intensa do teu olhar...
É como se quisesse preservar o silêncio que só a noite tem.

Um escuro salpicado de vorazes mãos e abraços...
Quantas coisas já perdemos por que não acreditamos no silêncio?

Quantas frases malditas dizemos sem pensar? Ah doce silêncio!
Ruídos maldosos acabaram com tudo.

O silêncio me permite viver por dentro, sem mais.
A pressa e aquela angústia estonteante se vão...

Mas espere aí, falo de silêncio...
Nunca de vazio, não, não, o coração tá bem recheado!

Pelos imensos desertos que a vida nos apresenta,
O sopro do silêncio é o melhor amigo, caminhante comigo...

E lembre-se, nesses momentos...
Do silêncio do coração saem os sons mais ternos!




16 de julho de 2012

Coisas para a eternidade - 3ª parte

Realmente tem experiências que somente o tempo trás, muitas vezes nem precisamos somar tantas experiências (números) para ter uma bela noção de coisas que só o tempo dá!
Quando comecei escrever esses post's sobre "coisas para a eternidade" pensei numa forma de registrar aquilo que de certa forma me marcou muito, experiência + emoção!


Ultimamente tenho pensado muito no "investimento" emocional e, por que não, financeiro que fiz em determinadas relações de amizade que acabaram mal ou que foram traumáticas. Do meu lado contabilizei muito mais "prejuízo" em todos os sentidos do que pude perceber e avaliar na outra ponta.


Confesso que tenho muito mais frustração nas coisas que confidenciei, no que confiei do que prejuízo material. Nunca fui de lamentar coisas materiais, sempre fui do time que perde e corre atrás e recupera do que lamenta!


Mas dói muito perceber o quanto fui ingênua em determinadas situações. Acho que é uma herança religiosa que carrego! Sempre confiei muito nas pessoas, no começo de uma relação de amizade sou incapaz de julgar com olhos críticos se aquela relação vai me fazer bem, eu entro de cabeça e pá... quebrei a cara depois de um tempo.


Já sofri muito mais que hoje em dia. Antes me culpava muito, achava que estava errada em ter tomado determinada decisão, custava mais a perceber que estava sendo usada ou que as pessoas apenas "aproveitavam" coisas que a relação de amizade trazia. Talvez quem leia esse texto não entenda alguma ideia minha, mas prefiro não dar muitos exemplos práticos...


Vou dar um exemplo clássico: tive "amigas" de anos de relação que quando disse o primeiro não para empréstimo de crédito ou dinheiro o tom e frequencia de conversas e proximidade mudou drasticamente! Claro que, sofri muito na época, eu era muito nova, comecei achar que isso ia acontecer sempre, que eu precisava "pagar" para ter amigas, foram muitos pensamentos assim...


Ultimamente tenho tido menos baques desse tipo, mudei a forma de manter os relacionamentos de amizade. Consigo agora, com mais naturalidade, pensar antes, avaliar uma série de fatores antes de chamar alguém de amigo(a). É difícil, mas temos que tentar! Afinal a medida da entrega sempre é de cada um!

http://semgordurastrans.blogspot.com.br/2009/05/coisas-para-eternidade-1-parte.html
http://semgordurastrans.blogspot.com.br/2009/05/coisas-para-eternidade-2-parte.html

6 de julho de 2012

Chove no meu coração


Dia molhado, meu rosto também.                                             
Um frio úmido em eu coração.
É ausência...

As gotas das árvores, são minhas lágrimas.
Ar molhado, sufocante...

Hoje anoiteceu quando o dia raiou.
Não sei se é a hora ou o momento...

Chove em meu coração.
Chuva de inconstância e inquietudes!

Retiro voluntário faço eu.
Cada gota que cai parece o tempo contando...
São gotas de esperança!
E essa chuva miúda que não passa, 
Enquanto minha vida se decide...

Chove em meu coração, uma garoa teimosa...
Sozinha, com sabor de presença.

E essa chuva traz um mar de ilusões, pensamentos...
Grandes demais para mim!

E as nuvens estão indo... Doces e com cheiro de novo!
Chove em meu coração, uma chuvinha refrescante...
E assim vai ser, o dia todo!

5 de julho de 2012

Existe vida?

  Tenho uma lista com mais de quarenta blogues que anos atrás comecei a conhecer, comentar, visitar. Quando comecei o meu era uma atividade intensa, com muitas visitas, troca de comentários, selos, etc...
  Algumas blogueiras eu mantive conversas no messenger, outras agora nos comunicamos via Facebook, ou seja, blogues que trouxeram amizade!
  A maioria dos blogues da minha lista de preferidos foram "abandonados", alguns tem uns 4 anos que ninguém "aparece" lá! Não culpo quem o criou, não julgo, longe de mim...
  Este blog aqui já está no 5º ano, confesso que às vezes eu o abandono, penso em deletá-lo, leio, releio e... Não tenho coragem! Creio que seja porque muitas vezes em que me via numa situação difícil, com sentimentos conturbados, com a vida bagunçada e esse pobre moço aqui sempre me consolou, me ajudou a organizar as coisas, a pensar melhor e a renovar minhas fases de vida.
  Com redes sociais, microblogs, twitter e tantos outros recursos práticos e rápidos existe vida ainda para nossos blogues?
 Penso que os blogues nos ajudam a expressar com mais detalhes as opiniões, os pensamentos, as ideias, etc... 
  Amo este espaço aqui, quando não consigo atualizá-lo parece que falta alguma coisa!
  Espero ter vontade e chances de continuar com ele, ideias e inspiração também!
  Sinto falta daquele "movimento" todo que tinha antes, de comentários, de troca de selos, de concursos, etc... Mas a vida continua não é mesmo?
  Bj.


3 de julho de 2012

Tempo e saudade


"Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche."


[Martha Medeiros]

24 de julho de 2012

17 de julho de 2012

Livre silêncio

A luz intensa do teu olhar...
É como se quisesse preservar o silêncio que só a noite tem.

Um escuro salpicado de vorazes mãos e abraços...
Quantas coisas já perdemos por que não acreditamos no silêncio?

Quantas frases malditas dizemos sem pensar? Ah doce silêncio!
Ruídos maldosos acabaram com tudo.

O silêncio me permite viver por dentro, sem mais.
A pressa e aquela angústia estonteante se vão...

Mas espere aí, falo de silêncio...
Nunca de vazio, não, não, o coração tá bem recheado!

Pelos imensos desertos que a vida nos apresenta,
O sopro do silêncio é o melhor amigo, caminhante comigo...

E lembre-se, nesses momentos...
Do silêncio do coração saem os sons mais ternos!




16 de julho de 2012

Coisas para a eternidade - 3ª parte

Realmente tem experiências que somente o tempo trás, muitas vezes nem precisamos somar tantas experiências (números) para ter uma bela noção de coisas que só o tempo dá!
Quando comecei escrever esses post's sobre "coisas para a eternidade" pensei numa forma de registrar aquilo que de certa forma me marcou muito, experiência + emoção!


Ultimamente tenho pensado muito no "investimento" emocional e, por que não, financeiro que fiz em determinadas relações de amizade que acabaram mal ou que foram traumáticas. Do meu lado contabilizei muito mais "prejuízo" em todos os sentidos do que pude perceber e avaliar na outra ponta.


Confesso que tenho muito mais frustração nas coisas que confidenciei, no que confiei do que prejuízo material. Nunca fui de lamentar coisas materiais, sempre fui do time que perde e corre atrás e recupera do que lamenta!


Mas dói muito perceber o quanto fui ingênua em determinadas situações. Acho que é uma herança religiosa que carrego! Sempre confiei muito nas pessoas, no começo de uma relação de amizade sou incapaz de julgar com olhos críticos se aquela relação vai me fazer bem, eu entro de cabeça e pá... quebrei a cara depois de um tempo.


Já sofri muito mais que hoje em dia. Antes me culpava muito, achava que estava errada em ter tomado determinada decisão, custava mais a perceber que estava sendo usada ou que as pessoas apenas "aproveitavam" coisas que a relação de amizade trazia. Talvez quem leia esse texto não entenda alguma ideia minha, mas prefiro não dar muitos exemplos práticos...


Vou dar um exemplo clássico: tive "amigas" de anos de relação que quando disse o primeiro não para empréstimo de crédito ou dinheiro o tom e frequencia de conversas e proximidade mudou drasticamente! Claro que, sofri muito na época, eu era muito nova, comecei achar que isso ia acontecer sempre, que eu precisava "pagar" para ter amigas, foram muitos pensamentos assim...


Ultimamente tenho tido menos baques desse tipo, mudei a forma de manter os relacionamentos de amizade. Consigo agora, com mais naturalidade, pensar antes, avaliar uma série de fatores antes de chamar alguém de amigo(a). É difícil, mas temos que tentar! Afinal a medida da entrega sempre é de cada um!

http://semgordurastrans.blogspot.com.br/2009/05/coisas-para-eternidade-1-parte.html
http://semgordurastrans.blogspot.com.br/2009/05/coisas-para-eternidade-2-parte.html

6 de julho de 2012

Chove no meu coração


Dia molhado, meu rosto também.                                             
Um frio úmido em eu coração.
É ausência...

As gotas das árvores, são minhas lágrimas.
Ar molhado, sufocante...

Hoje anoiteceu quando o dia raiou.
Não sei se é a hora ou o momento...

Chove em meu coração.
Chuva de inconstância e inquietudes!

Retiro voluntário faço eu.
Cada gota que cai parece o tempo contando...
São gotas de esperança!
E essa chuva miúda que não passa, 
Enquanto minha vida se decide...

Chove em meu coração, uma garoa teimosa...
Sozinha, com sabor de presença.

E essa chuva traz um mar de ilusões, pensamentos...
Grandes demais para mim!

E as nuvens estão indo... Doces e com cheiro de novo!
Chove em meu coração, uma chuvinha refrescante...
E assim vai ser, o dia todo!

5 de julho de 2012

Existe vida?

  Tenho uma lista com mais de quarenta blogues que anos atrás comecei a conhecer, comentar, visitar. Quando comecei o meu era uma atividade intensa, com muitas visitas, troca de comentários, selos, etc...
  Algumas blogueiras eu mantive conversas no messenger, outras agora nos comunicamos via Facebook, ou seja, blogues que trouxeram amizade!
  A maioria dos blogues da minha lista de preferidos foram "abandonados", alguns tem uns 4 anos que ninguém "aparece" lá! Não culpo quem o criou, não julgo, longe de mim...
  Este blog aqui já está no 5º ano, confesso que às vezes eu o abandono, penso em deletá-lo, leio, releio e... Não tenho coragem! Creio que seja porque muitas vezes em que me via numa situação difícil, com sentimentos conturbados, com a vida bagunçada e esse pobre moço aqui sempre me consolou, me ajudou a organizar as coisas, a pensar melhor e a renovar minhas fases de vida.
  Com redes sociais, microblogs, twitter e tantos outros recursos práticos e rápidos existe vida ainda para nossos blogues?
 Penso que os blogues nos ajudam a expressar com mais detalhes as opiniões, os pensamentos, as ideias, etc... 
  Amo este espaço aqui, quando não consigo atualizá-lo parece que falta alguma coisa!
  Espero ter vontade e chances de continuar com ele, ideias e inspiração também!
  Sinto falta daquele "movimento" todo que tinha antes, de comentários, de troca de selos, de concursos, etc... Mas a vida continua não é mesmo?
  Bj.


3 de julho de 2012

Tempo e saudade


"Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche."


[Martha Medeiros]