6 de março de 2012

Pequenos medos...

Alguns me assombram, outros me desafiam!Pequenos medos, alguns empoeirados...
Tanta vida foi...

Mistura total, cores, sons e medos.
Resolveram se unir.

Medo daquela pequena cegueira, que não deixa perceber a beleza dos dias abatidos.

Vou-me, por aí, reunindo todos eles.
São medos pequenos, alguns apenas me desarmam!
Medo daquelas madrugadas implacáveis, que amedrontam até o frio.

Alguns murmúrios ficam dizendo as coisas que já passaram...
Aquelas lá do fundo, que já perderam o juízo!

Medo de esquecer a história daquele tempo, deveria?
Acho que não, foi o que me construiu!

Medo da cor que o silêncio possa ficar...
Palavras antigas, imagens boloradas, ficam na retina, ouço a pronúncia!

Há golpes que a vida não sabe curar, com qualquer brisa lateja...
Vou seguir, pela margem afiada da vida!
Talvez eu te encontre, e você tenha pequenos medos também...

2 de março de 2012

Somente hoje


Hoje quero palavras doces, amores novos, vidas interessantes e alegrias soltas por aí!
Quero caminho lento, mãos pelo corpo, abraços calmos e beijos a qualquer hora...

Hoje quero fachos de luz pela janela, cama cheirosa e comida quentinha!
Quero amigos felizes, gente sorrindo e música no ar...

Tempo sem pressa, corpo suave e expressões de satisfação!
Hoje quero olhos brilhantes, roupas cheirando a vida e pequenos cartões...
Quero apenas isso, um dia bom, pessoas realizando sonhos e o amor em cada canto!

8 de março de 2012

6 de março de 2012

Pequenos medos...

Alguns me assombram, outros me desafiam!Pequenos medos, alguns empoeirados...
Tanta vida foi...

Mistura total, cores, sons e medos.
Resolveram se unir.

Medo daquela pequena cegueira, que não deixa perceber a beleza dos dias abatidos.

Vou-me, por aí, reunindo todos eles.
São medos pequenos, alguns apenas me desarmam!
Medo daquelas madrugadas implacáveis, que amedrontam até o frio.

Alguns murmúrios ficam dizendo as coisas que já passaram...
Aquelas lá do fundo, que já perderam o juízo!

Medo de esquecer a história daquele tempo, deveria?
Acho que não, foi o que me construiu!

Medo da cor que o silêncio possa ficar...
Palavras antigas, imagens boloradas, ficam na retina, ouço a pronúncia!

Há golpes que a vida não sabe curar, com qualquer brisa lateja...
Vou seguir, pela margem afiada da vida!
Talvez eu te encontre, e você tenha pequenos medos também...

2 de março de 2012

Somente hoje


Hoje quero palavras doces, amores novos, vidas interessantes e alegrias soltas por aí!
Quero caminho lento, mãos pelo corpo, abraços calmos e beijos a qualquer hora...

Hoje quero fachos de luz pela janela, cama cheirosa e comida quentinha!
Quero amigos felizes, gente sorrindo e música no ar...

Tempo sem pressa, corpo suave e expressões de satisfação!
Hoje quero olhos brilhantes, roupas cheirando a vida e pequenos cartões...
Quero apenas isso, um dia bom, pessoas realizando sonhos e o amor em cada canto!