5 de outubro de 2010

Poema


"Poema de Nelson Elias sobre melodia de Márcio Valverde"


Deixei-a naquela esquina
Como se bem não amara mais
Requinte das vaidades
Dos olhos pingam saudades
E as mãos num sem-que-fazer
Passam horas a tecer
A falta que ela me faz
É ofício de rendeira
Um bilro, um fio, um ponto, um laço
Desmancho tudo que faço
E nem desfaço, refaço
Pra dar o que fazer as mãos
Tecendo seu agasalho
Em fios de lã de saudade
Capote, manta, ilusão.

Um comentário:

Olá! Se está aqui, leu e quer dizer algo...

5 de outubro de 2010

Poema


"Poema de Nelson Elias sobre melodia de Márcio Valverde"


Deixei-a naquela esquina
Como se bem não amara mais
Requinte das vaidades
Dos olhos pingam saudades
E as mãos num sem-que-fazer
Passam horas a tecer
A falta que ela me faz
É ofício de rendeira
Um bilro, um fio, um ponto, um laço
Desmancho tudo que faço
E nem desfaço, refaço
Pra dar o que fazer as mãos
Tecendo seu agasalho
Em fios de lã de saudade
Capote, manta, ilusão.

Um comentário:

Olá! Se está aqui, leu e quer dizer algo...