19 de janeiro de 2010

Para temperar a vida...

Conhecer o leque de temperos naturais é uma garantia de renovação do sabor dos pratos. Dependendo de suas cores, aromas e grupos, os alimentos pedem diferentes tipos de temperos. Confira as orientações da publicação do Sesc/RS Receitas do Mesa Brasil.

Alecrim: tem qualidades aromáticas e medicinais. Por ter sabor forte, marcante e levemente amargo, é indicado como tempero de uma infinidade de pratos culinários.

Aipo marrom: também chamado de sal de aipo, aromatiza o sal. Usado em pratos com ovos, aves, sucos de tomate, saladas de batata, atum e cozidos.

Alho-poró: hortaliça com sabor muito semelhante ao da cebola. Utiliza-se tanto o bulbo (parte mais branca) quanto as folhas. É empregado em sopas, saladas e ensopados.

Cheiro verde: mistura da salsa com a cebolinha. Com uma pitada de louro, é utilizada para realçar o sabor de patês, molhos e cozidos.

Chili: planta da família do pimentão. Seu sabor é picante e o fruto costuma ser usado inteiro, moído ou seco. Tradicional da culinária mexicana, é muito usado em carnes.

Curry: de sabor exótico, é um dos temperos mais antigos do mundo. Mistura de várias ervas e especiarias, entre elas, curcuma, gengibre, coentro, cominho, canela, é usada em receitas com ovos, sopas, peixes, carnes e aves.

Manjerona: além de muito aromática, tem inúmeras propriedades medicinais. Pode substituir o orégano por ter aroma semelhante, embora mais requintado. É utilizado em carnes como as de porco e carneiro, queijos, ovos, aves, peixes ensopados e pizzas.

Noz-moscada: originária da Indonésia, sue sabor lembra uma mistura de canela com pimenta-do-reino. Utilizada tanto para salgados quanto para doces, pode ser encontrada em pó ou inteira para ser ralada. Deixa um sabor diferente em recheios de massas, em carnes e até em coquetéis.
}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}
Orégano: originário da Grécia, tem aroma forte e penetrante. Condimento indispensável em pizzas, molhos e outros pratos. Pode ser consumido fresco ou seco.

Pimenta branca: extraída da pimenta-do-reino. Tem sabor mais suave que a preta e é utilizada em pratos mais claros como molho branco, carnes brancas, peixes, sopas claras e maionese.

Sálvia: originária do sul da Europa. É uma erva usada na culinária como condimento para galeto, carne de carneiro, porco, queijos, tomates, recheios e pratos da cozinha italiana.

Vinagrete: mistura de vinagre, água, óleo, cebola, tomate e pimentão. Usado para temperar carnes, aves, peixes e vegetais ou como acompanhamento.
Qual o seu preferido, e em que prato?
fonte: blog Água na Boca.

2 comentários:

  1. Hum! adorei o post! adoro saber sobre alimentação@

    ResponderExcluir
  2. oregano eu curto ein... mas pra mim, estou aberto a novas experiencias =P.. hahahaha... em alimentação, claro!

    ResponderExcluir

Olá! Se está aqui, leu e quer dizer algo...

19 de janeiro de 2010

Para temperar a vida...

Conhecer o leque de temperos naturais é uma garantia de renovação do sabor dos pratos. Dependendo de suas cores, aromas e grupos, os alimentos pedem diferentes tipos de temperos. Confira as orientações da publicação do Sesc/RS Receitas do Mesa Brasil.

Alecrim: tem qualidades aromáticas e medicinais. Por ter sabor forte, marcante e levemente amargo, é indicado como tempero de uma infinidade de pratos culinários.

Aipo marrom: também chamado de sal de aipo, aromatiza o sal. Usado em pratos com ovos, aves, sucos de tomate, saladas de batata, atum e cozidos.

Alho-poró: hortaliça com sabor muito semelhante ao da cebola. Utiliza-se tanto o bulbo (parte mais branca) quanto as folhas. É empregado em sopas, saladas e ensopados.

Cheiro verde: mistura da salsa com a cebolinha. Com uma pitada de louro, é utilizada para realçar o sabor de patês, molhos e cozidos.

Chili: planta da família do pimentão. Seu sabor é picante e o fruto costuma ser usado inteiro, moído ou seco. Tradicional da culinária mexicana, é muito usado em carnes.

Curry: de sabor exótico, é um dos temperos mais antigos do mundo. Mistura de várias ervas e especiarias, entre elas, curcuma, gengibre, coentro, cominho, canela, é usada em receitas com ovos, sopas, peixes, carnes e aves.

Manjerona: além de muito aromática, tem inúmeras propriedades medicinais. Pode substituir o orégano por ter aroma semelhante, embora mais requintado. É utilizado em carnes como as de porco e carneiro, queijos, ovos, aves, peixes ensopados e pizzas.

Noz-moscada: originária da Indonésia, sue sabor lembra uma mistura de canela com pimenta-do-reino. Utilizada tanto para salgados quanto para doces, pode ser encontrada em pó ou inteira para ser ralada. Deixa um sabor diferente em recheios de massas, em carnes e até em coquetéis.
}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}}
Orégano: originário da Grécia, tem aroma forte e penetrante. Condimento indispensável em pizzas, molhos e outros pratos. Pode ser consumido fresco ou seco.

Pimenta branca: extraída da pimenta-do-reino. Tem sabor mais suave que a preta e é utilizada em pratos mais claros como molho branco, carnes brancas, peixes, sopas claras e maionese.

Sálvia: originária do sul da Europa. É uma erva usada na culinária como condimento para galeto, carne de carneiro, porco, queijos, tomates, recheios e pratos da cozinha italiana.

Vinagrete: mistura de vinagre, água, óleo, cebola, tomate e pimentão. Usado para temperar carnes, aves, peixes e vegetais ou como acompanhamento.
Qual o seu preferido, e em que prato?
fonte: blog Água na Boca.

2 comentários:

  1. Hum! adorei o post! adoro saber sobre alimentação@

    ResponderExcluir
  2. oregano eu curto ein... mas pra mim, estou aberto a novas experiencias =P.. hahahaha... em alimentação, claro!

    ResponderExcluir

Olá! Se está aqui, leu e quer dizer algo...